Ocorreu um erro neste dispositivo

domingo, 28 de fevereiro de 2010

Fim de Semana na Lapónia - Parte 2/3

Consumada que estava a visita à cidade de Kemi e depois de um reconfortante lanche na casa da nossa colega Finlandesa, onde, diga-se de passagem, fomos recebidos como convidados de honra. Portanto, à Noora e à sua família um muito obrigado pela hospitalidade e pelo fantástico lanche que nos foi servido.
A tarde estava muito boa na companhia daquela afável e divertida família finlandesa mas, era tempo de nos "fazermos à "estrada", mais uma fez. Apanhamos o comboio com destino a Rovaniemi. Viagem durou cerca de 2 horas e surpreendentemente sem qualquer tipo de atrasos. Uma vez em Rovaniemi era tempo de procurar onde era a nossa pensão. De mapa na mão, mochila às costas parecíamos uns autênticos escuteiros à procura do trilho certo no meio da floresta. Parecíamos, obviamente não andávamos com aquelas meias ridículas. (Desculpem-me todos os escuteiros. É só para fazer piada, ou pelo menos para tentar. A todos os escuteiros um "Bem Haja").
Depois de uma caminhada não muito longa, diga-se, lá encontramos a tal pensão. Entramos, tivemos que fazer logo o pagamento, ainda assim não fugisse-mos sem pagar e instala-mo-nos nuns pequenos, mas eficientes, quartos, em que cujo o objectivo era única e exclusivamente passar a noite, logo qualquer tipo de luxo era supérfluo.
Bem depois um jantar no Macdonald´s mais a norte do mundo- sim é verdade, Rovaniemi tem o Macdonald´s mais a norte do mundo- seguimos satisfeitos para a nossa pensão.
Perto da uma da manha quando já pensávamos em dormir, o maluco do Nuno Duarte lembrou-se de ir pesquisar informações sobre Auroras Boreais em Rovaniemi. (Quem não souber o que é, faça uma pesquisa no Google ou na Wikipédia e ficará esclarecido sobre este fantástico fenómeno natural). Após tal pesquisa, descobrimos que em Rovaniemi a probabilidade de ver-mos a Aurora Boreal é enorme. Como oportunidades destas, provavelmente, só se têm uma vez na vida aventura-mo-nos nos -35º graus, (nunca façam isto...lol), e lá fomos nós a caminho de uma zona pouco iluminada da cidade.
Bem posso vos dizer que não vimos nada de extraordinário, apenas umas pequenas manchas, quase imperceptíveis no céu. Mas seguramente ainda teremos oportunidades de ver a Aurora Boreal aqui na Finlândia, se não for a Aurora que se seja e Felismina, ou a Maria das Dores, independentemente do nome, o que eu quero é ver esse espectáculo de luzes no céu.
Bem não vimos nada digno de registo, mas apanhamos um frio do caraças, -35ºgraus (!) é dose. Chegou ao ponto de não conseguir abrir um olho porque a pestana de baixo congelou à de cima, ou foi a de cima de congelou à de baixo? Bem, não interessa, o que conta é tinha o olho congelado, é uma situação um tanto ou quanto incomoda. Mesmo com 4 blusas, um casaco, 2 cachecóis, 2 gorros, 3 pares de calças, 3 pares de meias e 2 pares de luvas o frio entrava no corpo tanto como entram as bolas do Benfica na baliza dos adversários, por isso naquela noite era o verdadeiro IceMan.
Bem, depois de chegar a casa e depois de descongelar foi hora de dormir, porque o descanso era essencial, pois adivinhava-se uma longa maratona no dia seguinte.


(O Gui e o Nuno)


(Eu o Nuno e o Tiago na fase da passagem de estado liquido para estado sólido)


(A Aurora ainda quis dar um ar da sua graça mas ficou-se por isto. Pesquisem imagens para perceberem que isto não é mesmo nada)

sábado, 27 de fevereiro de 2010

Fim de Semana na Lapónia - Parte 1/3



Pois é meus amigos, a vida aqui tem sido muito dura. Muito trabalho, muito estudo, nem dá para a o pessoal se divertir....lol. No fim de semana passado, decidimos desanuviar da longa semana de trabalho e "fizemo-nos à estrada", ou melhor, à linha do comboio e fomos directos à Lapónia. Sábado, dia 20 de Fevereiro lá estávamos nós, às 7 e pouco da manha, na estação de Oulu. Bem, convém dizer que os meus acompanhantes era 3 portugueses uma finlandesa e 3 belgas. O Carlos resolveu não ir...Ficou de "fascina", bem melhor para mim que quando cheguei no domingo à noite a casa brilhava, mas estou aqui para falar do fim de semana e não dos dotes do Carlos para a limpeza.
Portanto,o primeiro destino era a cidade de Kemi. Como já vai sendo habito, o comboio estava atrasado, o transportes não dão muito bem comigo, atraso esse que estava estimado em 6 HORAS!!!! No meio da bagunça lá nos disseram que havia um autocarro para Kemi dali a 5 minutos e nós desesperados por apanhar nem que fosse uma carroça, corremos que nem uns loucos para apanhar o autocarro. Com uma sorte descomunal lá apanhamos o dito cujo e seguimos em direcção a Kemi.
Bem, Kemi é uma cidade que pouco tem para ver à excepção do fantástico Castelo de Gelo. Chegados a Kemi partimos à conquista do dito castelo. Só estavam -25º, mas tudo bem, o pés mal se sentiam, mas tudo bem na mesma, as mãos mal as conseguíamos mexer, mas todo o esforço foi recompensado por aquela maravilha de castelo. O Castelo de Gelo é uma obra que, como devem perceber, só está de "pé" durante os meses de inverno e no seu interior tem uma capela, um hotel, um restaurante e muitas outras coisas fabulosas, tudo isto feito em gelo. O meu medo era que aquilo desabasse em cima da minha cabeça, mas cedo esse medo se dissipou visto que o o frio era tanto que até eu já estava congelado. A vista teve que ser feita em 3 turnos, turnos esses que eram interrompidos por "intervalos de aquecimento", a sério estava um frio inqualificável e por isso a visita tinha de ser interrompida por 10 minutos para que o sangue descongela-se volta-se a inundar as nossas veias em estado liquido, ou, pelo menos, granizado...lol
Em suma, apesar do frio que estava valeu mesmo a pena visitar aquela maravilha de Gelo. É daquelas experiências que só se tem uma vez na vida e acreditem que gozei dela a 100%.

Aqui ficam alguma fotos para vocês....









quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

Festa de carnaval...



Um dia Vasco Santana disse "Chapéus há muitos, seu palerma" e eu digo "Palhaços há muitos e estão em todo o mundo".
Por aqui falta o calor, o samba e a "mulherada" do Brasil mas a festa de Carnaval aconteceu mesmo sem estes "condimentos". Embora não seja muito a nossa onda, entramos na festa ainda que sem qualquer disfarce. Aquele já temos é suficientemente engraço, por isso foi só colocar os elásticos.
O espírito carnavalesco invadiu a nossa residência e foi portando mais um motivo de festa. Havia mascarados para todos os gosto, embora o gosto seja bastante discutível.
Desde a reencarnação de Michael Jackson, aos vampiros, às enfermeiras e às indispensáveis matrafoanas, houve de tudo um pouco. (Gostei principalmente da uma rapariga que tinha um grande bigode. Mas gostei mais ainda quando soube que não estava mascarada...ahahaha).
A festa decorria com normalidade, até que fomos visitados pela policia, que disse que tinham recebido uma chamada a alertar para o barulho que estávamos a fazer. Viemos a saber que foi uma finlandesa do 1º ou 2º andar que fez a denuncia. (Acreditem, no 4º andar já mal se ouvia barulho). Mas "cócós um dia, cócós para sempre", alguns finlandeses são mesmo assim. Tristes.
No entanto, aquele percalço não impediu a festa de continuar, mas espero que tenha impedido a finlandesa de dormir....ahaha



( Aqueles 2 ali não estão mascarados de policias. Eles são mesmo policias.)

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

Dia de anos....

Acreditem que é estranho passar o dia de anos longe de aqueles que mais gostamos. Mas é assim que se aprende e se cresce na vida.Mas uma coisa é certa, jamais esquecerei o dia em que fiz 21 anos, não só pelo facto de o passar na Finlândia mas também porque agora posso cumprir o sonho da minha vida, tirar a carta de camião!ahahaha. Apesar da ausência de amigos e família, atrevo-me mesmo a dizer que foi das maiores festas de anos que já tive. Aqui na residência organizamos uma festa que tinha como temas os meus anos, a despedida de pessoal que se vai embora e a típica "Corridor Party" de sexta feira. Motivos não faltavam para ser uma grande noite, noite essa que começou com um jantar entre os tugas e a nossa tutora, Elisa, com o propósito de festejar os meus anos. Bem, sei que a ementa poderia ser mais Portuguesa, mas ficamo-nos por um esparguete à bolonhesa e por um arroz de marisco.



O jantar estava optimo e foi um momento bastante agradável passado na companhia de pessoal 5*. A todos eles um muito obrigado, em especial ao Carlos e Gui que ajudaram e muito na confecção do referido jantar.





Até houve direito a champanhe e ao típico bolo com umas inevitáveis 21 velas no topo.



Mas enganem-se aqueles que pensam que a festa terminou por aqui. A festa tinha apenas acabado de começar.
Foi a melhor festa que se deu por aqui no segundo semestre....gente de todo o lado. A nossa residencia foi invadida por espiritos "sedentos" de festa. Mas as imagens falam por si.... aqui ficam algumas fotos.







Bem animação não faltou. Mas partir daqui não há mais divulgação de imagens que a "cena" ficou agreste...ahahah

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

A caminhos dos 21...

Bem hoje é dia 11 de Fevereiro, significa, que amanhã será dia 12 de Fevereiro. E o que de especial tem essa data? Nada de extremamente importante, mas para recordar os mais esquecidos ou aqueles que desconhecem tal coisa, o Dinis faz anos e como tal haverá festa no quinto andar, como não podia deixar de ser.
Será servido um jantar para os tugas que residem a aqui em Otokylä e para a nossa tutora Elisa. Bem, o Dinis vai cozinhar para 10 pessoas, espero bem que no Sábado de manha esteja tudo vivo. (Quer dizer, um gajo faz um jantar e ainda se queixam. Vê-se mesmo que são portugueses, vou abusar do picante e do laxante! ahaha). Adiante, depois do jantar, haverá festa, "Corridor Party", as famosas festas que decorrem no 2-A de Otokylä. Será uma conjunção de temas, não só os anos do Dinis, bem como a despedida de algum pessoal que regressa a casa na próxima semana e ainda o aquecimento para a festa de Carnaval que decorrerá no Sábado.
Falando agora na primeira pessoa, eu Dinis, apesar de estar com os meus novos amigos e de todos eles serem 5*, o que me deixaria extremamente feliz amanhã era que vocês, ai de Portugal podessem dar um pulinho até aqui e celebrassem "in loco" o meu dia de anos. Lamechisses de lado, o que importa é que seja uma grande festa e que, sobretudo, todos se divirtam e passem um bom momento.

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Bem por aqui a simples tarefa de andar de bicicleta torna-se complicada.
Quinta-feira, depois de uma excelente noite no Bar Onnela, o caminho para casa antevia-se difícil, não só pelo pelo facto de já ter umas cervejinhas em cima, mas também porque nessa noite nevou sem cessar. O Dinis pôs-se a caminho na sua bicicleta e a meio do percurso mandou uma valente "balda". Em declarações ao nosso blog o comandante do posto da Policia referiu que "o excesso de velocidade terá estado na origem do acidente e que por isso se justifica que o corpo do acidentado tenha ficado a 10 metros da bicicleta". Bem no entanto o condutor, não necessitou de qualquer assistência médica. (Naquele dia quem precisava de assistência médica sei eu. e não era o Dinis, era o outro, o do "barrote".[Só quem vê os apanhados no youtube é que percebe esta]).
Relativamente à noite, foi das melhores desde que aqui chegamos. Bom ambiente, boa musica e muita diversão.
Não sei porque mas não temos fotos do Carlos nessa noite e acreditem que é melhor assim..... Por isso aqui fica uma foto do Dinis com o Giordi, o italiano mais porreiro por estas bandas.



PS: Uma cervaja daquelas que o Dinis tem na mão custam 4,50€, mas com o cartão de Prata ficam baratinhas, só 2,40€. Fo......

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Neve, neve, neve, neve!



Bem, aqui os dias têm sido extremamente invernosos. Vento e uma chuva esquisita. Sorte é que a temperatura subiu e tem rondado uns agradáveis -5º.
Depois de comprar um bicicleta em 4º ou 5º mão, o Dinis, lá foi todo contente estrear a sua nova máquina, com pneus de neve, mudanças "Pernas pra que te quero", jantes de liga pesada, pára-lamas traseiro e dianteiro e ainda um aerodinâmico cesto para a "fruta" (já que se fala de muita fruta aí em Portugal, nós também falamos).



Era, supostamente, o dia ideal para testar a maquina, mas assim que chegou à rua, o Dinis, viu que as condições do piso não se encontravam nas melhores condições. Havia neve por tudo quanto era sitio. Não dá para acreditar, eram toneladas de neve, já nem se sabia o que era estrada e o que era passeio. A viagem foi, digamos, um pouquinho atribulada. À entrada para a primeira curva, atendendo ao facto de que por aqui a bicicletas não têm travões normais, (para se travar tem que se pedalar para trás) a roda traseira perdeu aderência e a experiência do condutor não foi insuficiente para evitar uma semi-queda (semi-queda é quando só a bicicleta vai ao chão mas o condutor consegue ficar de pé, se não for, passa a ser!). A persistência é típica dos portugueses e como tal não houve lugar a descrença,uns metros mais à frente, passado que estava o "mar" de neve, o caminho decorreu com relativa calma.